De frente com mamãe!

No post de hoje vamos conhecer um pouquinho melhor a protagonista das histórias do blógue, seus gostos, suas preferências e um pouco do que ela aprendeu a fazer em seus 11 meses de vida, completados na última segunda-feira...


Perfil:

Nome: Ana Luiza
Apelido: Analu
Idade: 11 meses e 4 dias
Signo: Aquário
Profissão: Neném

Para matar a fome: Mamá
Para matar a sede: Água
Para refrescar: Uma ducha
Para passar o tempo: A leitura (entenda-se por virar as páginas de um livro)
Para fazer companhia: Um dos meus amigos de pelúcia
Para conquistar: Mando um beijo
Para irritar: Grito até ser atendida


Uma fruta: Laranja
Um destino: Casa da vovó
Uma diversão: Picar papel, de preferência o higiênico ou guardanapo
Uma mania: Estou sempre conversando. Converso com pessoas, animais, paredes e brinquedos
Um esporte: Amo andar, mas também me interesso por esportes radicais
Um livro: O livro das descobertas - Hora do banho.
Um filme: Não gosto de histórias, prefiro dvds com clipes musicais.
Um programa de tv: As vinhetas das novelas.
Uma música: E se... (com o Astolfo da Turma do Cocoricó), Pintinho Amarelinho (com a Galinha Pintadinha) e o tema de final de ano da Globo (com o Roberto Carlos)
Um ídolo: O Astolfo 
Uma coisa boa: Passear
Uma coisa ruim: Ficar dodói
Uma qualidade: Sou muito carinhosa
Um defeito: As vezes me finjo de surda
Uma curiosidade: Para dormir eu preciso de duas pepês (chupetas). Uma fica na boca e a outra eu fico apertando

Gato ou cachorro? Os dois
Calor ou frio? Detesto calor
Doce ou salgado? Doce
Comer ou dormir? Dormir
Natureza ou tecnologia? Tecnologia
Barulho ou silêncio? Barulho

Quando está com dor ou com medo, o que você faz? Agarro a mamãe pelos cabelos pra garantir que ela não vai me colocar no chão
O que você quer ser quando crescer? Minha mãe sempre diz que eu canto muito bem, quem sabe no futuro serei a nova Sandy.
O que você ama? Barulho, bagunça e banho
O que você odeia? Colocar roupa
Do que você tem medo? Da mulher de jaleco branco que eu visito todo mês
Quem você gostaria de conhecer pessoalmente? A turma do Cocoricó e a Galinha Pintadinha
Quais são as palavras que você mais fala? Mamãe, bábá (papai) e neném.
Qual é a frase que você mais escuta? Aí não, Ana Luiza!

O que você aprendeu no último mês? Só algumas coisinhas porque me dediquei mais a aperfeiçoar o que eu já sabia. Tenho andado tanto que quase consigo correr quando alguém tenta me pegar. Mas aprendi a beber água sozinha com minha canequinha de plástico, pena que não é sempre que minha mãe deixa porque eu gosto de me molhar quando não tenho mais sede. Antes que eu mergulhasse de cabeça no chão e rachasse a testa, minha avó me ensinou a descer da cama ou do sofá, agora ficou mais fácil de fugir da minha mãe quando ela quer trocar minha roupa. Aprendi também que cadeiras não servem de barreiras porque posso passar por baixo delas ou então empurrá-las para o lado. E hoje eu abri a porta da cozinha (que é de correr) sozinha. Até ontem eu ficava gritando do outro lado e olhando minha mãe por uma frestinha enquanto ela preparava meu papá..

E pra terminar, 
Você não vive sem... A mamãe, as pepês e os paninhos das pepês

Feliz Natal, pessoada!!!

O dia 25 já acabou, mas pra mim a semana que antecede a virada de ano continua sendo parte do Natal. Por isso, para vocês, pessoas queridas que estão sempre gastando uns minutinhos dos seus dias lendo  essa quantidade de baboseiras que eu escrevo aqui, desejo uma semana bem linda com muito amor e pessoas queridas por perto. Que as mamães tenham muitos momentos de chamego com seus pequenos e que os pequenos consigam se divertir e se comportar ao mesmo tempo. Para aqueles que vão trabalhar, vou torcer para os dias passarem voando e não serem tão cansativos como de costume, para quem está de férias, espero que a semana passe devagarinho e seja bem aproveitada.

Como forma de registrar esse momento natalino, nada melhor do que uma foto da Analu com o Papai Noel. O primeiro contato da pequena com o bom velhinho não foi muito feliz, mesmo assim ele foi bem legal e não deixou de trazer presentes na noite de ontem. Pra ser bem sincera, acho até que ele foi generoso demais, mas essa deve ser uma forma que ele encontrou para tentar mais uma aproximação no próximo Natal.

Quem sabe, no ano que vem, a Ana Luiza pareça mais satisfeita na foto com o Papai Noel...

E antes que eu me esqueça, sexta-feira foi dia de passear em blog amigo, passei lá no Mon Maternité (blog da minha amiga Marcella) para deixar uma cartinha para o Papai Noel, é só clicar aqui pra conferir, a minha é a IX.


Má querida, super obrigada pela minha participação no seu blog! Amei de verdade!
Um ótimo restinho de Natal para todo-mundo-todo!

Em casa de ferreiro...

Super me encaixo nesse ditado!
Antes de virar profissional mãe, eu trabalhava como arquiteta. Aí, quando conto isso, as pessoas pensam que minha casa é cheia dos tric tric, decorada e super dentro das tendências.. "Ah, tá!"
Sinto decepcionar, mas na minha vida real não é assim que a coisa funciona. Pelo contrário, aqui é tudo no maior estilo "espeto de pau".
Na metade de outubro a gente mudou e até hoje (2 meses depois) posso dizer que o apartamento está com aspecto de "mudamos-semana-passada". O primeiro detalhe não-decorativo é visto logo na entrada, no piso laminado cheio de marcas de tinta (culpa de um pintor super porco levemente descuidado que respingou tinta pela casa inteira) "Um dia hei de limpar mancha por mancha". Outros pontos fortes da nossa não-decoração estão nos quadros que precisam ser pendurados, em algumas roupas dentro de mala (as de inverno), nas janelas sem cortinas e na lavanderia sem varal. Ah, não posso deixar de fora da lista a mesinha de canto da sala que recebeu nova função e hoje faz o papel de rack no quarto. Lindu qui só!
Mas o negócio é que essa vida de "casa de ferreiro" está com os dias contados porque hoje já comecei a deixar meu lado arquiteta falar mais alto. Com um simples objeto comprado em uma loja de R$ 1,99 mais um durex, transformei as tomadas da minha casa em pontos ornamentais #coisafina.
Para não ficar meia hora explicando e correr o risco de ninguém entender todo o processo de criação e o resultado final do projeto, tirei uma foto que não dá margem à dúvidas.

Proteção de tomadas anti-Analu, uma ideia simples, linda e barata.

Lembra que eu falei aqui que a Ana Luiza está com a mania super segura de tentar colocar o dedo dentro da tomada?? Pois bem, o problema está resolvido e agora eu já posso voltar a piscar quando precisar lubrificar  meus olhos. E só pra constar, eu não patentei a ideia, viu? Todo mundo está livre para divulgar e fazer o mesmo em suas casas. Uma dica para o clima das festas de fim de ano é usar durex verde ou vermelho para combinar com o resto da decoração natalina, chique, né?

Dos gostos e das preferências

Ana Luiza não faz o tipo fresca. É muito fácil deixar ela bem. Ela gosta de todo mundo, come de tudo e  se diverte muito com várias brincadeiras e passatempos. Mas claro que, mesmo sendo tranquila e fácil de lidar, tem suas preferências. Como nem sempre foi fácil descobrir essas preferências, principalmente quando era pra entreter a filha, resolvi colocar aqui as preferências da Analu, quem sabe isso possa ajudar alguém que se encontre sem saber o que fazer para deixar um bebê satisfeito. 

No ranque das pessoas legais eu ocupo o lugar número 1 e mesmo que não ocupasse, eu ia mentir porque deveria ser lei que a mãe sempre fosse a preferida.

Quando o assunto é alimentação, por um longo período a pequena só teve contato com leite e era muito feliz com isso, depois conheceu as frutas, legumes, verduras, carnes... O leite continua sendo sempre uma boa pedida, mas hoje pode até ser que ela abandone a mamadeira quando vê uma laranja. Antes a preferência era por banana, depois foi a vez da gelatina e agora a laranja é a queridinha da vez. Não importa a espécie, lima, pera, bahia, todas são muito bem aceitas pelo paladar da Analu.

Aí tem o jeito de se entreter. Aqui a preferência vive mudando, então achei melhor dividir em fases. Cada fase dura mais ou menos uns dois meses, as vezes mais. Para dar pra entender, vou explicar cada fase resumidamente.

Fase 01 - chorar-comer-dormir
O próprio nome já diz tudo, só o que interessava pra ela eram essas 3 ações. Nessa fase, não adiantava fazer a macaca na frente da Analu. Ela simplesmente não mudava a expressão de tédio. Deu uma certa agonia esse período, ainda bem que não durou mais do que dois meses. (RN - 1 mês)

Fase 02 - existe mundo além do peito
Comecei a ver algumas reações positivas na frente do pai, do móbile e de alguns brinquedos. Já não dava mais tanta agonia e eu consegui arrancar muitas risadinhas dançando músicas felizes na frente dela. Muitas vezes eu levantava o carrinho, deixava a pequena meio sentada e ficava horas conversando com ela. Não sei se era entendida, mas acho que ela gostava do meu papo, porque demorava muito pra começar a chorar, querendo dormir ou mamar. (2 - 3 meses)

Fase 03 - eu já sei brincar sozinha
Colocava vários brinquedos no berço ou na cadeira de alimentação e ela ficava sentadinha brincando por uns 10/20 minutos sem reclamar, depois disso eu tinha que entrar em cena, ou porque TODOS os brinquedos já estavam no chão, ou porque queria fazer outra coisa, ou queria dormir ou mamar. Também foi nessa fase que ela começou a assistir TV, mas também só ficava sem reclamar por no máximo 20 minutos. Nessa fase ela já ficava perfeitamente em pé com nossa ajuda e isso era sempre muito legal, muitas vezes eu servia de apoio para ela ficar em pé observando o mundo por outro ângulo. Brinquedos que deixavam ela em pé também eram ótimas opções. (4 - 5 meses)

Fase 04 - tudo é muito mais legal dentro da boca
Tudo, simplesmente tudo o que ela via ia parar na boca. Os brinquedos começavam a ter bem mais graça (dentro da boca, é claro) mas a brincadeira só durava mais de 20 minutos quando eu sentava para "brincar" junto. Foi nessa fase que ela descobriu o quanto eram legais os dvds do cocoricó e da galinha pintadinha, o que pra mim foi uma benção porque na hora de muita irritação, se não era hora de comer ou dormir, o dvd sempre acalmava rapidinho. A loucura por ficar em pé continuava presente, mas ela aprendeu a pular e começou a pular o tempo inteiro, 24 horas por dia se pudesse. A gente segurava embaixo dos bracinhos e ela poderia passar horas exercitando os músculos das pernas e nós os músculos dos braços. Pular era acima de qualquer coisa o passatempo mais legal (6 - 7 meses)

Fase 05 - me deixa que eu quero ser independente
Essa é uma fase chatinha porque ela não sabia andar, mas achava que sabia. Ficava apoiada em todos os móveis e assim conseguia chegar em vários lugares da casa. Arriscava engatinhar, mas nunca se interessou muito, legal mesmo era se aventurar apoiando nos móveis. Toda essa aventura, na maioria das vezes, resultava em quedas e muito choro depois. Ganhou um carro-brinquedo de presente, que eu já mostrei aqui. E amou desde o primeiro momento, o único problema é que queria "dirigir" em pé e a brincadeira começou a ficar um pouco arriscada. Ganhou também uma mesinha-instrumentos no dia das crianças e começou a passar muuuuuuito tempo quebrando tocando muito feliz. Descobriu também que a mesinha-instrumentos é um ótimo andador. (8 - 9 meses)

Fase 06 - me deixa que eu sou independente
Depois de passar dois meses tentando, aprendeu andar e acha que não precisa de mais ninguém. Se comporta dentro do carro-brinquedo, ficando sentada bem linda enquanto a gente empurra pra lá e pra cá. A mesinha-instrumentos ainda é muito querida, mas o passatempo preferido é deixar a mãe de cabelos em pé, fazendo o que não deve. Com um mundo de 80cm de altura ao alcance das mãos, surgem vários passatempos divertidos como detonar o papel higiênico do banheiro, abrir e vasculhar ou então virar o lixo do banheiro, abrir as gavetas da cozinha para ver o que tem dentro e em seguida fechar a gaveta nos dedos, pegar os objetos (quebráveis, de preferência) do rack da sala, pegar sapatos (adultos e infantis) e colocar na boca, arrancar pilhas dos controles remotos para colocar na boca, tentar enfiar o dedo no buraquinho da tomada, tirar os plugues das tomadas e colocar na boca (levar objetos indevidos à boca é ação frequente), tentar descer/subir a escada da casa da avó, sair na surdina da casa da avó e ir na garagem brincar com os cachorros (detalhe que um deles é bravo), tentar destruir o telefone batendo com força no chão, mexer em todos eletrônicos da sala da avó, ligar e desligar várias vezes o computador do padrinho, fuçar na ração dos gatos, tentar comer os cabos da televisão e do dvd, tentar comer cremes hidratantes da mãe, tentar se pendurar no cabideiro do quarto dos pais e acabar no chão com o cabideiro e várias bolsas em cima do corpo. Preciso urgentemente achar outros passatempos para Ana Luiza, antes que eu fique louca e ela toda arrebentada. Alguma sugestão?? (fase atual, vou pensar que até completar 1 ano ela comece a se divertir de uma maneira mais segura e mais comportada)

Luz na passarela que lá vem ela!!!

Como falei no post anterior, Ana Luiza está andando! E aqui está o vídeo de toda a performance da boneca. Agora me diz, tem ou não tem na passarela??


Dos vários assuntos.

Assuntos 1 e 2:
As novidades e aventuras dos 10 meses.
Dia 26, Analu completou 10 meses. E é com o maior orgulho-de-mãe-apaixonada que eu digo: ELA ESTÁ ANDANDO!! uhuuuuuul \o/  E é a coisa mais linda de ver: testinha enrugada de concentração, braços abertos pra ganhar equilíbrio e o passos no maior estilo robô bêbado. #quasemorro Me diz, tem como ficar mais orgulhosa?
O único porém, é que a Analu, que adora fazer a mamãe ficar com cara de bocó na frente dos outros, só anda quando quer! Daí que quando eu quero me metidar, mostrando toda a desenvoltura do caminhar da pequena, ela não anda de jeito nenhum. Pelo contrário, pra ficar mais feio pra mim, (tipo-mamãe-tá-mentindo), ela se joga no chão e sai engatinhando de um jeito pra lá de esquisito (pés no chão, pernas esticadas e bundóca pra cima).
Mas a mamãe não é boba, não! É claro que tenho tudo fil-ma-do! (só não vou colocar o vídeo hoje porque ele está enoooooorme, então vou pedir para marido cortar e deixar só a parte que interessa para poder postar, okei?)
Ainda sobre os 10 meses, essa tem sido, pra mim, a melhor fase da Ana Luiza. Ela está mais independente, passa um tempo brincando sozinha e não quer só ficar no colo o tempo todo. E se antes eu achava que ela sempre estava impaciente e entediada com minhas brincadeiras bobocas e sem graça, agora percebo que ela realmente está se divertindo. Fica igual pinto no lixo quando eu deixo ela no chão, treinando os passos, engatinhando a toda velocidade e descobrindo coisas que antes estavam foram do alcance. Se pra completar eu deixo um monte de cacarecos por perto, ela é capaz de ficar horas achando tudo aquilo o máximo.
Mas, (sempre tem que ter um mas) essa fase pode ser bem perigosa. Então eu preciso ficar o tempo todo de olho pra ver se ela não está derrubando nada pesado no pé, se não está na lavanderia comendo ração dos gatos, se não está cortando a mão com algum caco que, provavelmente, é de alguma coisa que ela acabou de quebrar, fora o lado não higiênico da coisa, já que ela é louca para mexer em papel higiênico sujo e adora comer sapato (acho que isso ela aprendeu com o Thomaz).
Quanto aos dentes da Analu, continuam escondidos dentro da gengiva, ainda incomodam um pouco, mas ela está mais calma e tem comido e dormido melhor. Eu também estou mais calma, resolvi seguir o conselho das queridas que comentaram no post anterior e parei de fazer a louca-da-rotina. Semana passada eu estava neurótica com esse negócio de horários e acabei deixando todo mundo estressado junto comigo.


Amo muito tudo isso!!!!

Assunto 3:
Selinho
Ai gentes que feliz que eu estou! Ganhei meu primeiro selinho! Sempre quis um, mas nem imaginava ganhar tão cedo. Então imaginem se não fiquei siachando quando a Dayane querida, lá do Mãe Aquarela, me presenteou com esse selinho fofo. Obrigada, amiga! Adorei muito!



Então vamos ao mini-questionário que eu preciso responder.
Cor favorita:
Difícil, porque eu gosto de várias. Mas acho que prefiro branco. Sei lá porque, acho que branco me passa a ideia de coisas limpas e fresquinhas (estranha, eu?)
Animal favorito:
Definitivamente são os gatos. Não gostava deles, por simples implicância, até conhecer melhor e adotar a Bebela e depois dela o Thomaz. Sou apaixonada por eles e acho que os gatos são muito mais fiéis e companheiros que os cachorros. Fora que são mais limpos e higiênicos (de novo o negócio de limpo)
Número favorito:
Não sei, nunca tive esse negócio de gostar de números. Mas já que preciso dizer, fico com o 5 (número de membros da família)
Bebida Favorita:
Sucos naturais e água gelada. Água em temperatura ambiente eu acho péssima.
Dia favorito:
Sábado. Amo o fim de semana, mas não gosto do domingo porque depois dele vem a segunda.
Flor favorita:
Lírios. Amo os lírios, gosto de todas as cores, mas prefiro os brancos. São lindos e perfumam o ambiente em volta. Meu buquê de noiva era de lírios brancos e mais algumas outras flores que eu não faço a mínima ideia do nome.

E agora a lista em ordem alfabética das 10 mamães que eu vou presentear com esse selinho:
Cami - Chama a Mamãe!!
Carol - Meu mundo em palavras!!!
Cris - Mamãe de olho
Janna - Nossa Vida!
Lili - Lili mãe do Luanzinho
Nívea - Mamãe Arteira
Má - Mon Maternité
Milena - Mamãe aos 22
Sil - Funny Paper
Sylvia - Sylvia & Bruno - Papais da Gabrielly!!!

Novidades dentárias.

Respondendo a um comentário do post anterior, não, eu não abandonei o blog e nem pretendo abandonar. Então, não se preocupem, nem se descabelem (faz de conta que sou celebridade, tá?) porque aqui estou eu mais uma vez!! E assim como das outras vezes, tenho uma desculpa plausível para o meu sumiço. Os dente da filhota estão nascendo! Ela vai fazer 10 meses em menos de uma semana e ainda não tem nenhum dente na boca. Pela demora e pela "tensão" dos últimos dias acho que estão nascendo todos os dentes de uma só vez! Na última consulta, a pediatra falou que a gengiva da Analu estava rasgando e que para a maioria dos bebês essa fase é um pouco chatinha. Ah, tudo bem! Que mãe nunca passou por uma, duas ou mais fases chatinhas? Depois da consulta, fiquei cheia de orgulho imaginando que logo minha filha poderia virar garota propaganda de escova e pasta de dentes (oi? mais uma celebridade na família?). Mal sabia o que estava por vir... A tal da fase chatinha era puro cinismo da pediatra. Chatinha é o caramba! Esse período é, no mínimo, um mala sem alça! A Ana Luiza está com a maior dificuldade pra dormir a noite e super sem apetite, anda super manhosa e tem alguns dias bem diarréicos. Eu já nem sei mais quando é manha ou quando é incômodo do dente. Aquela rotina que eu acreditava estar recuperando, foi pro beleléu. Daí já viu, né? Filho sem hora pra dormir é mãe sem tempo pra mais nada! O marido, quando não está dividindo as tarefas, é deixado de lado, o blog, a casa, os gatos, tudo é jogado para o escanteio (inclusive eu mesma)... Aí eu me pergunto: Meudeusdocéu, vamos ter que passar por isso com cada dente que for nascer?? Não posso com isso não, gente! Tô velha demais pra ir dormir de madrugada e acordar com as galinhas. Tenho 28 anos, aparento ter 18, mas minha energia é de 70! (a parte de aparentar ter 18 anos é brincadeira, tá? na verdade aparento ter 20! Rá!). Então amigas desse mundo bloguífero, mães que já passaram por isso, por favor, digam que tudo vai acabar logo e que todos os dentes irão nascer amanhã. Faz quase 1 mês que estivemos com a pediatra, mas até agora nenhum sinal branco naquela gengiva vermelha.. Falta muito?? (mintam pra mim se a resposta for positiva)

Relaxando um pouco e comemorando mais um mês


E pra variar, eu sumi!

E agora nem posso alegar que minha vida está como o caos das semanas passadas, ou algo parecido. Pelo contrário, a Ana Luiza está ótima e estamos conseguindo restaurar a rotina que tinha sido perdida durante os dias que ela teve infecção de garganta e resfriado e a casa está relativamente em ordem (relativamente = quadros para colocar na parede, roupas que ainda estão na mala esperando o armário novo que ainda não chegou, falta de um varal para, pelo menos, pendurar as toalhas de banho e mais alguns outros detalhes). Dessa vez a razão da minha ausência é que eu deixei um pouco de lado a neura de estar sempre “a serviço do blog”. Afinal, ele não foi criado para ser uma obrigação. Eu mal entrei para esse mundo blogueiro e já estava virando uma blogaholic descontrolada, deixando de lado outras coisas para estar sempre aqui... Não vou parar de escrever, mas também não vou me cobrar tanto como estava fazendo...

Mas chega desse blábláblá whiskas sachê, vamos ao que interessa, a Ana Luiza. 

Mais um dia 26 passou e a pequena completou mais um mês de vida.  Mesmo correndo o risco de ser extremamente repetitiva, a verdade é que a cada dia eu fico mais apaixonada e impressionada com cada coisa nova que ela aprende. Às vezes eu penso que muita coisa ela já sabia fazer desde que nasceu, mas estava escondendo o jogo para sempre ter algo novo para mostrar e fazer de mim uma mãe mais boba a cada novidade...
Antes de completar 9 meses, a Ana Luiza:
- se apaixonou perdidamente por gelatina e quando vê um potinho de sobremesa começa a pular como doida e dar vários gritinhos até saborear a mais nova paixão.
- deixou de comer alimentos batidos e agora é só amassado no garfo. É lindo ver aquelas gengivinhas banguelas mastigando tudo.
- começou a engatinhar e parece que não achou graça nenhuma nisso, o sonho dela mesmo é andar.
- aprendeu a dar tchauzinho igual gente grande e agora toda vez que eu chego perto da porta ela já começa a dar tchau para casa e vai o caminho todo dando tchau para as pessoas, os postes, as árvores, os carros...
- aprendeu a mandar beijo estalado, mas isso ela só faz quando quer. Eu posso me ajoelhar e ficar com câimbra na boca de tanto pedir que ela mande beijo que ela não vai mandar se não estiver afim.
 - começou a tomar só banho de chuveiro com a mamãe, por recomendação da dermatologista. Por ter tendência à alergia na pele, os banhos de banheira acabam aumentando as chances de novas alergias porque a criança fica muito tempo “de molho” na água com sabão.
- descobriu o que é gritar e gostou muito da descoberta. Tem usado desse artifício em vários momentos do dia, quando está feliz, quando está brava, quando quer alguma coisa...
E como nem tudo são flores, antes de completar 9 meses, a Analu:
- teve sua primeira queda da cama. Ela estava dormindo na minha cama e eu aproveitei para dar uma cochilada, acordei num pulo quando ouvi um super barulho, minha pequena tinha acabado de ter sua primeira queda. Depois disso a cama foi encostada na parede e mesmo que o quarto tenha ficado super jacu, a cama vai continuar encostada até a Ana Luiza fazer uns 18 anos, mais ou menos...

E então, ela voltou!


Ufa!! Sobrevivi!

Depois de uma semana de caos total com filha doente, mudança, organização do novo apartamento  e uma mãe surtada, finalmente consegui arranjar tempo para passar aqui e dar o ar da minha graça. E para não ter um post gigantesco e cheio de detalhes e lengalenga, vou tentar ser breve o mais breve possível contando as boas novas da última semana.

A pequena já está super recuperada da garganta, de um resfriado que deu depois e mais duas alergias. A paz voltou a reinar e a Analu sarou de tudo! O bom humor da filhota foi recuperado e meu colo já não é mais única opção. (Meus braços agradecem a consideração!)

Com toda loucura da semana passada, os horários da Analu ficaram uma bagunça, cada dia seguia um horário diferente. Mas, (Thanks God) estamos conseguindo voltar à rotina. Tudo bem que pra isso, eu tenha que levantar mais cedo e passar o dia zumbizando de tanto sono, mas o que a gente não faz pelos filhos, né?

Na mudança, deu tudo certo! Já estamos devidamente instalados e adaptados ao apto novo. Ainda tem coisas para fazer, coisas pra jogar fora e coisas para comprar, mas o que importa é que nossa casa já está habitável e com o tempo faremos tudo o que precisa.

No final de semana recebemos uma visita importada lá de Florianópolis - a prima do Papai-Alê, o marido dela e seus filhos, um de 1 ano e 1 mês e o outro que ainda mora na barriga. A Analu ficou feliz da vida com a visita do primo e os dois fizeram várias gracinhas juntos, deu uma vontadezinha de ter outro neném, mas quando a gente saiu de carro, os pequenos ficaram um pouco impacientes por terem que ficar sentados e a Analu fez um super escândalo na volta de um passeio por raiva da cadeirinha, aí a vontadezinha passou e me deu até um arrepio de imaginar mais um neném gritando na minha orelha. (querido próximo filho, por favor espere mais um pouco para existir)

E a super novidade da semana é que minha filhota linda-de-viver está engatinhando!!!  Quase tenho um treco de tanto orgulho. E completando a fofurice, quando ela acha um apoio firme, usa de suporte para ficar em pé e dar passinhos... Agora já dá pra ter um treco, né?

Traduzindo...


- Blog abandonado = Sinal de uma mãe ocupada.

- Mãe ocupada = É uma mãe que tem que fazer duas ou mais coisas ao mesmo tempo. Por exemplo: Mudar de endereço e cuidar da filha com infecção na garganta. Detalhe importante: as tarefas a serem realizadas devem exigir 100% do tempo da mãe, para esta não ter tempo nem de ir ao banheiro.

- Mudar de endereço = Juntar toda a tralha que tem dentro de casa para levar para uma nova casa/apartamento por meio de um caminhão de mudanças. Enquanto não chega o dia da mudança, tudo em volta vira um verdadeiro caos com caixas, móveis desmontados e objetos pessoais espalhados. Para quem tem filho pequeno, deve-se tomar cuidado para não embalar a criança em uma das caixas.

- Infecção na garganta = É quando a garganta inflama, fica doída e engolir algo sólido passa a ser conseguido só através de milagre. Os sintomas mais comuns são dor, desconforto e febre alta. No caso dos bebês, ainda apresentam sinais de irritação, choram muito, perdem o apetite, só querem colo de mãe e não costumam dormir durante a noite.




Acho que posso ser desculpada pelo sumiço, né?
Logo eu volto, postando do apartamento novo para dizer que a Analu sarou. =)


A consulta, a pilha e o gato porpeta.


Ontem a Analu teve consulta com a Dra H (falei dela aqui) e para felicidade geral da nação, está tudo mais que 100%. Pesando 640 gramas a mais do que no mês passado a Ana Luiza mostrou que a comida da Vovó-Cidinha está cumprindo muito bem seu papel (a comidinha da Analu é feita todos os dias pela Vovó-Cidinha porque a mamãe não tem habilidade suficiente tempo suficiente)! Bem que eu estava percebendo que meus braços estavam cansando mais rápido, mas imaginei que fosse culpa do meu péssimo ótimo condicionamento físico! Como está tudo muito ótimo, a única recomendação da Dra H foi um cuidado especial com a pele da pequena agora que vai esquentar mais. A Ana Luiza tem o mesmo tom de pele da mamãe aqui (se é que branco-passei-o-inverno-no-alasca pode ser chamado de tom) e pele branquela + sensibilidade normal dos nenéns nos levam a um cuidado mais caprichado com talco em gel para evitar brotoejas e alergias do calor...


Depois do banho o que eu menos quero é dormir!!
Cada noite que passa a luta Sono X Ana Luiza ganha mais destaque. Antigamente (láááá no começo do ano) a mistura mamá-banho-berço era batata pra fazer a pequena dormir. Hoje as coisas não funcionam mais como nos tempos remotos. E um banho demorado com muita brincadeira não é o suficiente para acabar com a pilha da minha filha. Ela pode ter passado o dia a mil por hora, ter dormido super pouco e estar com os olhos vermelhos de tanto sono, mas nem por isso vai se entregar facilmente. Ultimamente só dorme quando a minha pilha acaba! É até engraçado de ver... Lá está a menina, pulando,  jogando as coisas para o alto, tentando engatinhar, ficando em pé com apoio, gritando muito, de repente, ela olha com uma cara de bateria fraca e simplesmente deita onde quer que esteja, no braço do sofá, no colo da vovó, na cama da mamãe... Tanto faz! A energia da pilha acabou e precisa ser recarregada.



Preciso dizer quem é quem??
Hoje demos início a mais uma mudança no cardápio da pequena. E em vez de mamar às 7 da noite, agora ela janta! E a janta de estréia foi muito bem aceita e teve até um iogurte de sobremesa. Papai-Alê está com medo que a Ana Luiza se transforme em um Thomaz! Pra quem não sabe, Thomaz é nosso gato mais novo (falei dele aqui). Digamos que ele é um gato um tanto quanto fortinho que adora comer uma ração fresquinha. Eu sempre dei ração para ele na mesma quantidade que eu dei para Bebela (falei dela aqui também), mas ao que tudo indica, o Thomaz come a ração dele e o que sobra da ração da Bebela.

Daquilo que mudou...

Sabe aquelas pessoas que dormem pouco e acordam super dispostas no dia seguinte? Que cinco/seis horas de sono bastam para repor as energias e estar pronta para mais um dia?

Pois é, eu também sei! E nem de perto sou parecida!! Desde que me conheço por gente, gosto de dormir e não tenho vergonha em assumir. Por muito tempo na infância, frequentei a escola no período da tarde para poder dormir mais de manhã. Quando mudei para o período da manhã, precisava pelo menos tirar uma soneca depois do almoço para ter coragem de pegar em algum livro.


Essa característica nasceu e cresceu comigo! E como não mudou até agora, acredito que não muda mais!
Acho lindo quem acorda com as galinhas na maior disposição, escancara todas as janelas de casa e dá bom dia para o dia! Mas, definitivamente, não sou assim! Por mim o mundo começava a funcionar depois do meio-dia. Minto! O mundo começava a funcionar depois da uma da tarde, porque meio-dia seria hora de levantar...


Desde janeiro desse ano (quando minha delicinha nasceu) que eu não sei mais o que é ir deitar cedo, acordar tarde, dormir quando eu quiser. Desde janeiro que sou uma pessoa olheiruda (leiam novamente e vejam que não estou falando das minhas orelhas e sim das minhas olheiras). Pareço mais um panda do que gente e não há corretivo que seja capaz de me dar um ar mais descansado.


Nem ligo tanto para a barriga geleia, os banhos curtos, a falta de tempo ou a dor no braço de carregar uma contorcionista que quer ver tudo a sua volta quando passeia... Isso tudo levo numa boa! De tudo que mudou depois que virei pessoa-mãe, a falta de dormir tanto quanto eu queria, é para mim a mais difícil das tarefas. Isso que eu não posso nem abrir a boca pra reclamar, porque minha filha foi abençoada com bastante sono e tirando alguns dias fora do comum, sempre dorme muito bem obrigada! E daí, sempre que eu posso aproveito sua soneca matinal para dormir mais um pouquinho...


Ultimamente ando com tanto sono que adoraria tirar um dia na semana e dormir vinte e quatro horas seguidas. Estou pensando até em implantar isso nas segundas-feiras. Só não sei ainda o que vou fazer com a filha e o marido, mas hei de encontrar solução! Quem sabe eles não queiram dividir a cama comigo?

Mamãe-Paty aproveitando a soneca da pequena para dormir mais um pouco

Comemorando 8 meses (e 2 dias)


Que tipo de mãe arranja tempo para escrever no seu blog materno sobre seu próprio aniversário, mas não consegue encontrar 10 minutos livres para falar do mesversário da filha??
Seria uma mãe muito desnaturada, uma mãe muito ocupada ou uma mãe muito atrapalhada??
Como testemunha ocular do caso, digo que essa mãe é apenas muito atrapalhada e leva o maior baile de si mesma para conseguir dar conta do recado quando aparecem dois compromissos a mais na agenda..

Nessas horas, fico me perguntando como pode uma mãe dar conta de gêmeos/trigêmos/infinitogêmeos e do resto em sua volta?? Eu, sinceramente, já estaria louca! Ou no caso, mais louca!

Blábláblás e reflexões de lado, vamos ao mesversário da pituca...

Daí que segunda ela completou 8 meses! E eu nem acredito que o tempo está passando tão rápido!
Quando eu estava grávida, imaginava que ia demorar mais ou menos uns 3 anos pra Ana Luiza completar 8 meses. E de repente, ela está com 8 meses e 2 dias, faz um monte de bebêzices lindas e me deixa cada dia mais apaixonadabesta!

Nesse mês que passou, ela:
- Usou várias roupas de calor e conseguiu tirar o mofo do inverno do corpinho.
- Foi visitar a Vovó-Lourdes, a Madrinha-Pri e mais um monte de gente querida lá em São Paulo.
- Começou milagrosamente a comer comida salgada (com gosto) e desde então come muito bem.
- Experimentou frutas novas e gostou de todas (kiwi e abacaxi, que mamãe não come, fizeram bastante sucesso aqui).
- Ganhou seu primeiro carro e adora sair buzinando para chamar atenção.
- Praticou e tem praticado todos os dias para fazer parte do grupo dos bebês engatinhadores e os resultados têm sido muito satisfatórios.
- Conseguiu ficar de pé sozinha várias vezes (só alguns segundos, mas o suficiente para deixar papai e mamãe toda vez com sorrisos de orelha a orelha).
- Recebeu a visita do Vovô-Nicolas que veio importado lá de Natal.


Filha linda, parabéns por seus 8 meses (e 2 dias) e obrigada por cada sorriso sapeca que você me dá!! A Mamã-mamã-mamã te ama pra sempre!

Protejam suas canelas! Motorista nova no pedaço!

Daquela que está ficando velhoca..

Hoje vou ser rápida e rasteira! Não vou ficar de lero-lero porque passei aqui só para não deixar em branco que estou completando 28 primaveras! E para comemorar, vou enfiar o pé na jaca e esquecer que ainda tenho quilos da gravidez para perder. Vou sair com a patota (Papai-Alê, Analu, Vovô-Luiz e Vovó-Cidinha) para bater um rango e tirar a barriga da miséria. Chega de dieta! No dia do aniversário é permitido botar pra quebrar! E depois do almoço, voltamos para casa porque a pequena está borocoxô! Pegou um resfriado chato e por isso está bem caidinha... Judiação!
Agora vou descansar para repor as energias, afinal de contas eu já não sou mais tão jovem quanto ontem, né?

*em comemoração à minha idade mais avançada, um post cheio de gírias da vovó! =)

Paixão nacional...


O que faz uma menina acordar, 30 minutos depois, de ter dormido profundo depois do banho???

(  ) falta de sono
(  ) muito barulho perto do quarto
(  ) medo do bicho-papão
(  ) preocupação com a crise financeira na Europa
(X) vontade de assistir Fina Estampa

Se com os meninos, a paixão é por futebol, as meninas já nascem querendo acompanhar novela!

Hoje de noite a Ana Luiza fez tudo como de costume, tomou banho, brincou com todos seus produtos de higiene enquanto colocava pijama, conversou bastante, lutou um pouco contra o cansaço e logo se entregou e dormiu.
30 minutos depois, a mãe cansada (eu, no caso) se encontrava na maior preguiça com seu gato de estimação (Thomaz), os dois esticados na cama, ele ronronando e ela tentando entender alguma coisa na novela... (pausa)

Aqui em casa, não temos frescura com barulho durante o dia, a Analu dorme até com aspirador ligado. Mas de noite a gente cuida mais, porque já aconteceu algumas vezes dela acordar, despertar e só ir dormir às 2 da manhã, então para evitar esse tipo de coisa, deixamos a TV com o volume bem baixinho, quase-mudo para alguém, como eu, que cresceu falando alto e provavelmente não deve ter uma audição tão 100%. Essa TV no quase-mudo nos rendeu um novo passatempo. Marido e eu estamos ficando craques em leitura labial!

(continua) ... eu estava tentando entender o que a Tereza Cristina falava, quando ouvi ruídos vindo do quartinho da Analu. Como o Thomaz estava comigo e a Bebela na sala com o Papai-Alê, só podia ser barulho de Ana Luiza! E lá estava ela, olhão aberto, atravessada no berço e uma das pernas apoiadas na grade do berço. Mal me viu e já deu um sorrisão. Quase corri pra pegar a máquina e fotografar a pose da filha, mas aí lembrei que o ideal era fazer o que eu sempre faço de madrugada quando ela acorda, não falei nada, achei a chupeta, dei pra ela e virei as costas... Rá-rá! (Só pra minha cara que isso ia dar certo, né?) Eu mal saí do quarto e ela já ficou em pé no berço me chamando! Aí eu desencanei, peguei no colo e levei pra assistir novela comigo e com o Thomaz. Ela ficou lá com a gente, rolou bastante pela cama, fez alguns comentários e tentou por infinitas vezes se apoiar na minha coxa, ficar em pé e soltar as mãozinhas. Até aí ela fazia muito bem. Mas assim que soltava do apoio (minhas coxas) caía sentada. Raras eram as vezes que conseguia ficar 1 ou 2 segundos sem segurar em nada. Mesmo assim, cada “ficada em pé” era muito comemorada e ela morria de orgulho e vontade de repetir o feito.
Então a novela acabou e foi só começar a música do fim, para o olhinho da Analu começar a coçar e a chupeta ir para a boca. Como se estivesse querendo dar boa noite, ela olhou, resmungou e assim que eu coloquei no berço, dormiu rapidinho!

Viu só? Ela acordou porque queria assistir a novela. Assistiu e dormiu. Simples assim!

Técnica para uma boa soneca!


Minha gravidez foi super tranquila, a Ana Luiza mal se mexia na barriga e eu passei 09 meses achando que minha filha seria a bebê mais calma e serena da face da terra. Engano meu!! Não tem nada a ver a relação bebê não mexe com bebê calmo (pelo menos comigo, isso não funcionou). Minha filha é ligada no 220V e vive a mil por hora. Pula, se mexe e se contorce e nem quando está sentada brincando, fica sossegada, a onda agora achar alguma coisa relativamente firme para se apoiar e ficar “em pé” ou então tentar de tudo pra descobrir como faz pra engatinhar. Só vejo a Ana Luiza realmente quieta quando está mamando ou dormindo. E segundos depois de mamar ou acordar, já está pulando e conversando no som mais estridente que é capaz de manter. Bom, com isso já dá pra imaginar que ela não é muito fã de sonecas durante o dia, afinal dormir é perda de tempo e ela tem muito que curtir...

Até poucos dias, isso era um problema pra mim! Porque toda tarde, quando batia o sono, a Ana Luiza se negava a dormir, mas o corpo dela não entendia que não era pra dormir e continuava mostrando sinais de cansaço e com isso ela ficava irritada e nada mais agradava. Então eu me via obrigada a caminhar quilômetros pela casa com a filha se contorcendo no colo, lutando com todas as forças para não dormir até finalmente ser vencida pelo cansaço... Numa dessas caminhadas sem fim, minha santa mãe teve uma brilhante idéia. Cocoricar! E super funcionou! Desde então temos tardes com sonecas tranquilas e rápidas.

Como imagino que muitas mães que passam pelas mesmas dificuldades, resolvi deixar a técnica da soneca infalível à disposição aqui no blog. É bem simples e fácil de colocar em prática!

Segue o passo a passo:

Você vai precisar de um bebê, uma televisão, um aparelho de DVD e um DVD do Cocoricó. Geralmente você já tem tudo em casa, mas caso ainda não tenha o DVD, pode encontrá-lo em qualquer supermercado geralmente no balaio de promoções.

Como fazer:
1 – Pegue o bebê e só pra testar tente deitá-lo no seu colo.
2 – Se o bebê resistir vá com ele até a sala mais próxima e posicione-se na frente da televisão. Você pode sentar ou ficar em pé, fica a sua escolha.
3 – Pegue o DVD do Cocoricó e coloque para funcionar. A altura do volume é indiferente, tanto faz alto ou baixo.
4 – Você vai perceber que assim que a musica começar, seu bebê entrará em transe.
5 – Nessa hora você deixa o DVD passando por mais algum tempo até perceber que o bebê está beeeem zen.
6 – Volte a deitar o bebê no seu colo e perceba que não houve resistência da parte dele.
7 – Continue cantando mais um pouquinho das musiquinhas do DVD, ou caso sua voz seja tão linda como a minha, fique em silêncio e deixe o DVD fazer o trabalho sozinho.

Pronto! Em poucos minutos você tem um bebê dormindo em seus braços e uma música que vai grudar na sua cabeça por, mais ou menos, 24 horas. Espero ter ajudado alguém!!

Criador do Cocoricó, obrigada por ter tido essa idéia. E mãe, obrigada por ter lembrado que a Ana Luiza fica hipnotizada quando vê o Júlio e a sua turma.

Júlio e sua turma! daqui

Chicletinho da mamãe


De uns tempos pra cá, a filhota tem se mostrado bastante afetiva com relação à mamãe aqui. Percebo que ela está mais carinhosa e muitas vezes se mostra um verdadeiro chicletinho.

Nada mais justo que isso, né? Afinal são quase 17 meses (9 na barriga e quase 8 fora dela) de muita abdicação/dedicação (quilos a mais, cicatriz da cesárea, barriga que virou pudim, noites mal dormidas ou não dormidas, dificuldades na amamentação, aparência de panda de tantas olheiras, fraldas sujas...) e muito amor da minha parte. Portanto, ficaria no mínimo ofendida se ela resolvesse grudar em outra pessoa que não fosse eu, por exemplo, o pai, a avó, o avô, a gata, o gato ou quem sabe até a vizinha...

Antes que comecem a me caluniar, preciso deixar claro que não estou menosprezando a relação dela com outras pessoas da família. De forma alguma! Ela é um doce com todo mundo. Está cada dia mais apegada ao Papai-Alê, se diverte bastante nas brincadeiras com a Vovó-Cidinha, dá muita risada das palhaçadas do Vovô-Luiz, grita de alegria quando o Padrinho-Du leva pra brincar no computador, posa contente para as fotos da Tia-Leka e no último feriado ficou encantada pela Madrinha-Pri e fez várias gracinhas para Vovó-Lourdes....

Mas mãe é mãe, né gente? Dá licença! Eu mereço e a Analu parece saber muito bem disso!

Pelo menos por enquanto, (antes da adolescência, quando os filhos sentem vergonha dos pais) minha filha adora mostrar pra todo mundo que me ama e por isso eu vou ficar me-metidando-toda cada vez que ela quase arrancar minha roupa por não querer sair do meu colo (a cor do meu sutiã não é mais segredo), ou quando, no colo do papai, ela o obriga a andar atrás de mim para acompanhar tudo o que estou fazendo, ou então quando fica manhosa e só fica tranquila no meu colo, ou quando faz carinha de triste e quase se joga do colo de alguém porque eu estou fingindo que vou embora e aí quando pego no meu colo, tenho a sensação que ela vai levantar voo de tão forte que bate os bracinhos felizes...

É ou não é pra morrer de orgulho e ter motivo pra se-metidar o resto da vida??? Sei que o certo seria incentivar a independência, mas o fato é que estou adorando esse grudinho.  E mesmo não tendo tempo pra mais nada, eu fico sorrindo com a maior cara de besta quando vejo que só o que ela quer é minha companhia...

Espantando as moscas...


Depois de deixar esse blog às moscas, por mais de uma semana, consegui passar aqui para finalmente dar o ar da minha graça. Confesso que morro de saudade desse meu cantinho, mas não me perguntem o que eu tenho feito com meu tempo, simplesmente ele some sem eu nem perceber...
Para evitar um post quilométrico e bastante entediante vou tentar falar só um pouquinho de tudo que aconteceu nesses últimos dias, ok?

# Na semana passada fomos (papai-mamãe-filha) passar o feriado de 07 e 08 de setembro* em São Paulo. Aproveitamos para levar a pequena para rever e também conhecer alguns amigos e parte da família do papai. A viagem foi bem tranquila e deu pra descansar bastante (pelo menos eu e a Analu descansamos, já que Papai-Alê trabalhou alguns dias). Dividimos nosso tempo entre São Paulo e Ibiuna (onde mora a Vovó-Lourdes e a Madrinha-Pri) e mesmo tendo corrido, não conseguimos passar na casa de todo mundo.
(*aqui em Curitiba, dia 08 de setembro também é feriado. É dia da padroeira da cidade!)

# Mesmo passando de colo em colo e vendo um monte de gente nova nossa pequena não fez feio durante toda viagem e se comportou como uma verdadeira princesinha. Eram sorrisos e gracinhas distribuídas para todos.

# A guerra entre comida salgada e Ana Luiza parece ter chegado ao fim. No meio do feriado a pequena decidiu que iria começar a comer e comeu mesmo! Agora ela tem almoçado todos os dias sem luta. O motivo dessa mudança repentina ainda é um mistério, segundo a Vovó-Lourdes a “culpa” foi da colher do papai. (em uma das nossas tentativas usamos a mesma colher que alimentou o Papai-Alê lá no passado distante - hihihi - vou apanhar por isso!!!)

# Antes de voltar para Curitiba, um motoboy cegueta decidiu carimbar a traseira do nosso carro e por conta disso acabamos ficando um dia a mais em São Paulo para trocar a lanterna.

# A Ana Luiza vive falando “mamã” e “papá”, mas hoje de manhã nos presenteou com um nítido “papai”. Segundo a Bisa-Bárbara*, se o bebê fala papai primeiro o próximo filho é menino, se fala mamãe é menina. Só vamos conseguir saber se essa teoria é válida ou não, quando a gente decidir fabricar outro neném. Por enquanto, ficamos apenas na curiosidade... (*a Bisa-Bárbara é mãe da Vovó-Cidinha. No mês passado, ela virou estrelinha e foi morar no céu junto com os filhos e o marido. A gente está sentindo muita saudade, mas tenho certeza que agora ela acompanha tudo lá de cima...)

# Têm perninhas trabalhado a todo vapor por aqui. A pequena está louca para conquistar a independência e sair engatinhando mundo afora. Faltam alguns ajustes, mas assim que ela descobrir que tem que mexer as mãozinhas na hora de engatinhar, ninguém mais segura.

Estamos nos vendo de cabelos em pé com essa pequeninha, tá tudo acontecendo tão rápido que se a gente piscar nem percebe o tempo passar e quando vê lá está ela apresentando o primeiro namoradinho pra família (nesse dia vou ter que dar um vidro de calmante para o Papai-Alê, melhor começar a pesquisar pra saber qual é o mais poderoso)...
 Por outro lado, cada dia que passa e cada conquista que a gente vê enche nosso coração de orgulho e faz a gente vibrar de felicidade... Ai ai essa minha profissão é tão apavorante e tão gratificante ao mesmo tempo!


No feriado: momento-família-feliz-que-nunca-sai-no-sol (não parece, mas a Analu estava bem feliz!)


Hora do Banho: Momentos de tensão!

Inspirada no post, sobre o banho da Sophia-linda, no blog da Marcella, resolvi falar um pouquinho sobre a hora do banho aqui de casa que ultimamente tem me dado um verdadeiro baile. Há um mês, mais ou menos a hora do banho tem sido bastante tensa...

Para Analu??  -Nãoooo! Ela adora banho! A tensão toda fica reservada para mamãe e/ou papai.

Por que? -Ora, porque minha filha de 7 meses (aham, SETE MESES) decidiu que é moça!

Hum, e o que isso tem a ver? -Como o que tem a ver? Por acaso alguma moça senta e brinca bonitinho com seus brinquedinhos na hora do banho?? Não, né? Moça toma banho em pé!

Mas o que isso tem de mais? A menina tem 7 meses e já consegue ficar em pé! Puxa, do que essa mãe reclama? -É o seguinte, a Ana Luiza é toda durinha, tem as perninhas firmes e já dá até passinhos. Só que tem um pequeno e mínimo detalhe, coisa pouca, mas que nesse caso faz diferença... Apesar de já fazer um montão de coisas, a pequena ainda não se equilibra! Ela faz tudo o que eu falei, mas sempre amparada por uma mão-amiga! (ou seria uma mãe-amiga? #adecidir)

Ué, agora não entendi mais nada! -Nem adianta tentar entender. É banho em pé e pronto!

Acho que tá dando pra ver o porquê de eu ficar tensa, né?? Já que além de ficar o tempo todo com os pézinhos escorregando na banheira lisa, a Analu fica dançando como uma minhoca enquanto toma seu banho feliz. (lembrem que por causa do sabonete ela está lisa como um sabão). E é aí que a coisa complica, porque meus vários braços não dão conta dessa serelépisse toda! Nos últimos dias, depois de alguns escorregões, vários sustos por parte da mamãe e risadas por parte da Analu, pedi ajuda do Papai Alê! Combinamos que ele segura nossa minhoca linda e lisa e eu faço o resto (quando o banho é na casa do vovó, é a Vovó Cidinha quem ocupa a posição do Papai Alê). Tirando o fato de precisarmos de 2 adultos para dar banho em apenas 1 bebê, tá dando tudo certo! Os riscos ficaram menores e o banho fica ainda mais divertido para nossa pequena dançarina-de-banheira. Nesses dias mais quentes, resolvi que ia tomar banho junto e a Ana Luiza também achou um máximo. Só que vi que assim ela adora ficar "mamando" toda a água do chuveiro que escorre no meu ombro... E tudo bem que beber água é bom, ajuda nos rins e tal, mas não sei até que ponto, essa água morna de chuveiro é saudável. Por isso, pelo menos por enquanto, o banho escolhido é o banho de banheira, mesmo! Saio do banho como um pintinho molhado, mas é o ideal por agora. Quando a Analu conseguir ficar em pé, aí voltamos a tomar banho juntas. Eu no chão, sentada e ela dançando pelo box (que é minúsculo, mas para ela deve ser enoooorme).

             
Bons tempos quando eu ainda tinha um certo controle da situação...

Indo contra as previsões.


Sempre fui conhecida pelo meu jeito estabanado de ser. Se alguém caía no meio de uma multidão e chamava atenção de todo mundo, tenha certeza que a protagonista dessa triste situação era eu! Minhas canelas cresceram lotadas de hematomas e eu sempre fui mestre em virar o pé, tropeçar, escorregar. Já caí tantas vezes que até hoje não sei como nunca quebrei nada.

Eu consegui cair na primeira semana de faculdade, no meio da sala de aula. Eu estava sentada, assistindo uma aula chatíssima, de repente estava no chão com cadeira, mesa e tudo.

Quando fui encontrar o Alê em Florianópolis... (pausa para explicação resumida da história)

O Alê é de São Paulo e eu de Curitiba, a gente se conheceu lá na capital paulista, virou amigo e passou quase 3 anos conversando todos os dias pela internet. Até que um dia a gente viu que estava se gostando mais do que amigos e resolvemos nos encontrar em Floripa. Eu estava indo para um show e ele passar o feriado na casa dos tios que moram lá. Aí ficamos juntos, começamos a namorar a distância, ele veio morar em Curitiba, a gente noivou, casou, adotamos os gatos e fabricamos a Analu.

(voltando ao assunto) ...Quando fui encontrar o Alê em Florianópolis (faziam 3 anos que a gente não se via pessoalmente) eu cheguei com o tornozelo super inchado e mal conseguia colocar o pé no chão de tanta dor. Meu irmão desceu do carro comigo no colo (pense no mico). Horas antes tinha quase me matado nas pedras de uma praia de lá, caí quase rolando em cima da minha amiga Pri. Se não fosse ela pra me segurar, teria dado com a cara no chão. Fato! (amiga, obrigada por ter servido de freio).

Bom o negócio é que é desde que me conheço por gente, vivo me estabanando pelos cantos. O Alê sempre falava que quando a gente engravidasse, eu ficaria trancada os 9 meses em um quarto todo almofadado para evitar acidentes. Não cumprimos a promessa e é lógico que eu caí na gravidez. Estava quase no sétimo mês, indo com a minha mãe fazer uma ultra e acabei escorregando numa rampa na frente do lugar. Foi uma escorregada e tanto e na hora fiz um super malabarismo e consegui cair só em cima do meu joelho, a barriga ficou segura. (visualizem uma grávida com o peso semelhante ao de um elefante caindo em cima de um único joelho – muito azar do pobre joelho) Minha mãe ficou desesperada e só conseguiu voltar a respirar quando o médico disse que tava tudo bem com a Analu. O Alê estava em SP, eu liguei pra ele depois do exame e contei tudo. Acho que em questão de minutos ele pegou a estrada e chegou aqui.

É por isso que hoje eu fico feliz em dizer que consegui ir contra as previsões de várias pessoas que me cercam: a previsão de que eu seria um desastre de mãe. Não que eu seria uma péssima mãe, mas que eu com certeza cairia com a Analu ou deixaria ela cair. Acho que eu ouvi tanto isso que complexei, mas fiz esse complexo virar um complexo do bem. Por causa disso todas as vezes que estou com a Analu fico 100% concentrada nos meus movimentos e nos movimentos dela. Por isso, tudo está indo muito bem, obrigada! Eu que dei o primeiro banho, eu que troquei a primeira fralda, faço mil coisas com ela no colo, ando pra lá e pra cá em cima de salto alto, desço e subo as escadas do prédio e a Ana Luiza está inteirinha da silva! Claro que ela já se bateu algumas vezes, mas também não tem como controlar certas coisas. Ela já deu cabeçada no meu dente quando eu tava sorrindo, já quase caiu da cama depois de uma super rolada repentina, já bateu brinquedo na cabeça... A última vez que ela se bateu chegou a marcar a testinha, ela estava no meu colo e eu estava tentando fazer com que ela comesse e na hora de uma fuga arriscada ela acabou batendo com a cabeça na mesa. Mesmo com meus vários braços não tinha nem como eu segurar aquela cabeça desenfreada. Nesse caso a culpa do acidente é da própria acidentada. Né?

"Então eu mudei depois da maternidade?"
Nesse caso não! Continuo sendo a mesma pateta de sempre, vivo me batendo, caindo e tropeçando. Tenho hematomas que nem sei como apareceram, mas isso só acontece quando estou sozinha e sem a responsabilidade materna nas mãos.
"Um dia pode acontecer de eu cair com a Analu?"
- Tomara que não! Mas pelo menos já fico feliz que na fase onde ela era só uma bebêzinha molinha e frágil, nós duas passamos ilesas.

Enfim, no quesito segurança eu tento ser nota 10 com a filhota e até agora está dando certo! Se um dia ela cair e ela vai cair, é fato (comigo ou sem migo), espero estar sempre perto pra poder amortecer sua queda, do mesmo jeito que o meu joelho amorteceu na gravidez.

Enfim, achei minha agulha!!!


(Oi?)
Espera aí que eu já explico!

Não sei como é em outras cidades, mas em Curitiba, procurar um pediatra descente que atenda pelo plano de saúde, é simplesmente como procurar agulha no palheiro! E hoje, enfim achei minha agulha!! Nem tinha mais esperanças.. Depois de ir a CINCO pediatras desde que a Analu nasceu (vejam bem, minha filha tem 7 meses e as consultas geralmente são mensais), hoje na sexta tentativa encontrei uma pediatra boa (vamos chamá-la aqui de Dra H). Estou até com medo de falar isso e na próxima consulta descobrir que a Dra H não vai mais atender pelo nosso plano. Sério, tamanho é meu complexo com isso, que hoje minha mãe (querida vovó Cidinha que reveza com o papai a companhia nas consultas) até perguntou se a Dra H pretendia sair do plano. Só faltou a gente pedir pra ela assinar um papel confirmando...

A nossa primeira pediatra (Dra S) é irmã da obstetra, como estava tudo em família e eu não estava com mínimo pique para procurar pediatra, escolhi a Dra S para acompanhar o parto. E daí foi amor à primeira vista, Dra S é muito MARA! Super atenciosa, competente e carinhosa com a pequena. Atendeu todas nossas ligações (geralmente de madrugada) quando eu e marido estávamos passando pelas crises dos primeiros dias de pais-de-primeira-viagem-à-beira-de-um-ataque-de-nervos. Tudo ia bem até que Dra S resolveu que estava rica o suficiente e só ia atender consultas particulares. Fiquei com dor no coração, mas me neguei a pagar por uma consulta quase o preço mensal do plano de saúde. E assim, pedi o divórcio da Dra S e começamos a busca pela agulha no palheiro.

Da Dra S, partimos para o Dr I (aqui posso revelar que a letra “i” vem de idiota). Foi indicação de uma conhecida e eu resolvi tentar, maldita hora! Tenho o Dr I como referência de médico, no caso, o mais idiota do mundo! A idiotice começou já na recepção, onde tinham umas 30 mães com seus 30 filhos esperando por uma consulta que durava em torno de 10 minutos. Dr I sai da sala e grita: “- Ana!” Aí eu digo: “- Ana Luiza?” E o gentil Dr I responde: “- E tem alguma outra Ana aqui?” (??????) Como raios, eu ia saber???  A consulta foi outro desastre que nem merece ser comentado...

Do Dr I, partimos para Dr T e depois Dr C, ambos não eram idiotas como o Dr I, mas não pareceram médicos muito atenciosos, consultavam com pressa e mal olhavam para aquela carinha linda da Ana Luiza. Desisti dos dois.

Do Dr C, fui até o Dr R que era o pediatra até então. Quem me indicou o Dr R, foi uma mãe que eu conheci no salão de beleza (mães reunidas só sabem falar de filhos). Dr R não era nem metade da doçura da Dra S, mas a essa altura do campeonato, depois das três últimas tentativas fracassadas, achei que estava perfeito. Tudo ia bem, a gente estava começando a familiarizar com o Dr R, até que de novo recebo a notícia da secretária: “- Dr R não vai mais atender pelo plano da Ana Luiza”. (Ah, tá! Tá fácil achar pediatra!)

E foi assim que chegamos até a Dra H (a escolhida da vez). Que mais uma vez foi indicação de outra mãe no salão (tem sempre valido a pena trocar figurinhas maternais no salão #ficaadica).

A consulta de hoje foi muito boa e cheia de elogios as gracinhas da Analu, nosso único “problema” está sendo a alimentação e a Dra H deu várias dicas que a gente vai colocar em prática a partir de amanhã! Como já disse aqui, logo eu vou fazer um post falando só da alimentação da pequena e daí já vou comentar se as dicas da Dra H deram certo ou não.

Agora preciso pedir uma coisa a todos vocês que passam aqui pelo blog, torçam para Dra H continuar atendendo pelo plano de saúde, tá??

Possível diálogo...

E lá estamos nós, filhota e eu, assistindo Gaspard e Lisa na Discovery Kids (na verdade quem está assistindo mesmo sou eu, já que não é sempre que a pequena presta atenção)...

Agora, por favor, prestem muita atenção no que está prestes acontecer!

...No meio do desenho a chupeta cai um pouco mais longe e eu alcanço para evitar possíveis esforços desnecessários e rolamentos pela cama. A Ana Luiza olha pra mim e começa a balbuciar (na minha cabeça, ela começa a falar): mã mã mã mã mã!
Levo um susto, olho bem naqueles olhinhos brilhantes e escuto de novo: mã mã mã mã mã!

E aí?? Devo gritar como uma louca de emoção? Ligar para o papai, vovós, vovôs, padrinho e madrinha para contar a novidade? Será que é o que eu to imaginando?? Será que minha filha já está querendo me chamar de mamãe???

Bom, vou acreditar que sim, tá? Mas por precaução, vou contar só para o papai e para vovó que com certeza não vão falar que eu estou delirando. Tudo bem que desde então a Analu começou com esse "mã mã mã mã mã" o tempo todo, mas vai ver ela quer dizer o tempo todo que eu sou importante, né???
Mais uma vez, vou acreditar que sim!
Ai que orgulho! Minha filhota tá louquinha pra falar mamãe! ai ai ai coraçãozinho de mamãe quase explode de emoção!

E já que estamos falando de orgulho, vejam só a gostosura da Analu desfilando só de fralda em um blog amigo! (depois de testar uma fralda nova que a Marcella deu pra gente, escrevi um texto e mandei umas fotinhos para ela postar lá no blog)

Operação estufa-neném - resultado

E não é que funcionou??

Sei que não devo contar vitória antes da hora, que essa foi só a primeira noite depois da tentativa de estufar a filhota, mas ao que tudo indica o mamá com mucilon conseguiu deixar a barriguinha dela cheia até as 7 da manhã!
A noite foi assim: A pequena não acordou para mamar (nem acredito!), em compensação acordou várias vezes para que eu achasse a chupeta para ela. Mas era só isso, eu achava a chupeta e o sono estava restabelecido!
Com isso até que pude descansar um pouquinho. Não deu pra ter "A" noite de sono, mas perto das horas não dormidas da semana passada, essas levantadas em busca da chupeta, não foram nada!! Hoje vou repetir a receita de ontem (água fervida + nan + mucilon) e torcer pra tudo dar certo de novo. (continuem torcendo por mim, tá??)

Seria pedir demais para a chupeta permanecer por perto a noite toda??? Seria, né? Tudo bem, fica para uma próxima noite!

Ninguém sabe, ninguém viu!


E todo aquele lado sonolento da Ana Luiza, aquele lado que vivia em perfeita sintonia-sonífera com a mamãe...

Sumiu! Ninguém sabe, ninguém viu!!

Há alguns dias Papai Alê e eu estamos tendo contato com um outro lado da nossa filha linda. Um lado que aparentemente não gosta de dormir. Principalmente de madrugada!

Eu que sempre falei de boca cheia que minha filha não dava trabalho nenhum para dormir, que dormia a noite inteira blábláblá... Ultimamente bem no meio da madrugada, na hora que eu estou desmaiada de sono, a Analu me chama para uma conversa! Uma conversa longa que não pode esperar até o dia seguinte...

Tudo começou uma noite dessas quando ela acordou e eu tive a impressão de que naquela noite não voltaria a sentir a deliciosa maciez do meu travesseiro. Tentei mil e uma técnicas de embalo de bebês, brinquei, pulei, troquei a fralda, verifiquei se não estava com febre (a testa estava fria, mas vai que por causa do sono eu tenha perdido a sensibilidade nas mãos, né?) e nada! A pequena estava mais acordada que coruja enquanto eu já estava dormindo em pé. Depois de algumas horas, o Papai Alê que estava tentando dormir, mas não estava conseguindo por causa da nossa conversa, me perguntou se ela não estava com fome. Minha resposta foi rápida: "É claro que não! A Ana Luiza nunca mama fora de hora e a próxima mamada dela será às 7 da manhã!" Papai não se convenceu que sua filha funciona como um perfeito relógio e insistiu que eu fosse até a cozinha preparar um mamá! E lá fui eu crente que ela não iria mamar e eu olharia para o papai com meu olhar de mamãe-sempre-sabe-das-coisas e diria: “Eu não disse?? Ela só mama nas horas certas!” Para meu espanto, a mamadeira secou rapidinho e 30 minutos depois a filhota estava se entregando para o sono!

Quer dizer então que o mau dela era fome?? Rá! Caiu minha cara! Mas eu não deveria estranhar essa fome, já que a Ana Luiza simplesmente não come! (Antes que vocês pensem que eu sou uma mãe desnaturada que não dá comida para filha, devo dizer em minha defesa que eu tento dar comida para ela, mas além de me odiar por isso, ela não abre a boca e não come de jeito nenhum!) (Isto será discutido em breve em um seguinte post, então vamos voltar ao assunto em pauta) Mamá dado, Ana Luiza dormindo e mamãe se sentindo bocó, mas achando que tudo tinha voltado ao normal. Sonho meu! Na noite seguinte, mesmo tendo “comido” e mamado melhor durante o dia, ela acordou de novo e na seguinte de novo e assim por diante... Hoje cansada de tanto passear pela casa de madrugada, atrasei um pouco a última mamada (de meia-noite para uma hora) e coloquei mucilon no mamá para ver se dá mais sustância! Dedos cruzados, torçam por mim! Amanhã eu conto se deu certo.

Ah, antes de ir embora, preciso fazer justiça! Papai Alê está sempre acordando junto com a gente e só é poupado um pouco quando precisa acordar muito cedo no dia seguinte! Por isso, obrigada papai por dividir esses momentos zumbis comigo!